O VERÃO CHEGOU E COM ELE ALGUMAS PREOCUPAÇÕES QUE DEVEMOS TER COM OS NOSSOS PETS


Adoramos o verão! Os nossos pets também! mas devemos ter alguns cuidados para que possam desfrutar o máximo desse período.


O animal submetido ao calor pode ter um quadro de hipertermia (temperatura ≥42), que pode ser ocasionado por insolação ou permanência em ambientes sob o sol forte, como o interior de um carro. portanto, não submeta o seu cão ou gato a prolongados PERÍODOS de incidência dos raios solares, principalmente nos horários mais quentes do dia. nunca deixe o seu animal no carro, mesmo com as janelas entreabertas, pois a temperatura no interior do carro aumenta rapidamente, causando grande desconforto a ele.  o animal pode apresentar febre alta, pele aquecida, aumento dos batimentos cardíacos e respiração ofegante, diarreia, vômitos e alterações da consciência, entre outras manifestações. Diante dessas alterações clínicas, o animal deverá ser rapidamente encaminhado a um centro veterinário para tratamento.

algumas raças de Cães e gatos com o cara achatadinha (pug, boxer, bulldog e gatos persas) podem apresentar mais facilmente problemas respiratórios quando de uma insolação por conta da própria anatomia da parte respiratória superior, dificultando a troca de calor com o meio externo. lembrando que diferentemente do homem, os cães e gatos não transpiram como nós, fazendo as trocas de temperatura para manter a temperatura corporal principalmente pela respiração, por isso nem sempre quando estão ofegante com a boca aberta e a língua para fora é sinal de sede, mas pode ser de calor. Muito calor. animais idosos, com excesso de peso ou ainda aqueles com doenças cardiopulmonares podem apresentar mais comumente descompensações clinicas diante do excesso de esforço e da exposição a altas temperaturas.
Para refrescar nossos pets podemos lançar mão de ventiladores, ar condicionado e até mesmo cubos de gelo para lamberem. E não se esqueçam de fornecer, várias vezes ao dia, água limpa e fresca. a tosa em cães e gatos de pelos longos também alivia a sensação de calor, assim como a escovação frequente que retira pelos soltos que poderiam promover o superaquecimento. Banhos mornos ajudam a refrescar, mas o animal deverá ser seco logo após para evitar problemas de pele. não abuse de banhos, pois retiram a proteção natural da pele do animal. 

se o seu pet fica em um quintal, certifique-se que tem abrigo adequado para fugir do sol. deixe para passear com ele nos horários mais frescos do dia como pela manhã e à noite. evite os horários de maior incidência solar e cuidado com pisos de pavimentação asfáltica, pois PODEM causar queimaduras das almofadinhas das patas do seu animal. Procure andar na grama ou utilize protetores para as patas. LIMPE AS PATAS APÓS O PASSEIO.
Utilize um protetor solar nas orelhas e nariz, principalmente se ele tiver a pele clara e poucos pelos, para diminuir a possibilidade de queimaduras e câncer de pele. Consulte o seu veterinário para indicar qual o melhor produto a ser utilizado nessas áreas.
Mantenha a hidratação adequada do seu animal oferecendo água limpa e fresca várias vezes ao dia e em potes espalhados pela casa, para que tenha acesso fácil quando desejar e Não se esqueça de levar água durante os passeios. Pulverizar o corpo do animal com água fria também ajuda a REfresca-lo.  PISCINAS, LAGOS E RIOS PODEM SER UMA BOA OPÇÃO PARA ALIVIA-LO DO CALOR, MAS DEVE-SE MANTER A OBSERVAÇÃO PARA EVITAR ACIDENTES.
MANTENHA O SEU ANIMAL LIVRE DE PULGAS E CARRAPATOS, POIS NO VERÃO SE MULTIPLICAM MAIS RAPIDAMENTE, PODENDO CAUSAR IMPORTANTES DISTÚRBIOS NA SAÚDE DE CÃES E GATOS.
O verão é tempo de férias e muitas vezes os pets acompanham os seus tutores nas viagens. acomode o seu animal no novo ambiente e mantenha observação até a adaptação adequada. Se não puder levar o seu cão ou gato, dê prioridade por deixá-lo em casa sob supervisão de um cuidador ou ainda, faça opção por hoteis para animais de sua confiança.  


O verão em nosso país é chuvoso e, principalmente, os cães são muito sensiveis aos sons produzidos por tempestades com raios e trovoadas, pois tem uma audição mais apurada do que a do homem. Nesses momentos providencie um local seguro para o seu cão se refugiar e abafar o barulho ( como uma caixa, um cômodo silencioso). tente distraí-lo com brincadeiras ou petiscos. Aja de modo natural com o seu cão, mostrando a ele que não precisa ter medo dos barulhos e nunca brigue ou o console em demasia, pois poderá associar esse momento com medo ou ansiedade, respectivamente.

Aproveitem o verão e divirtam-se com seus pets.

Referencias consultadas:







Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COMO RECONHECER A DOR EM CÃES E GATOS?

FOGOS DE ARTIFÍCIO ASSUSTAM SEU CÃO?

Quetamina e o controle da dor